Thoreau

Imagem

Ele nasceu David Henry Thoreau em 12 de julho de 1817 na casa de sua avó viúva, na Virginia Road, em Concord, Massachussets. Era filho de John Thoreau, um lojista falido que se tornou fabricante de lápis. Sua mãe, Cynthia Dunbar, era filha de um ministro Congregacionista.

 

Apesar dos tempos difíceis, os pais de Thoreau ofereceram-lhe a oportunidade de frequentar boas escolas. Ele estudou na Concord Academy, uma escola privada considerada melhor do que as escolas públicas, e entrou para o Harvard College em 9 de agosto de 1833, quando tinha dezesseis anos.

 

Depois de se formar, mudou seu nome para Henry David Thoreau e assumiu um cargo de professor na Center School, uma escola de Ensino Fundamental em Concord. Aparentemente havia uma certa preocupação em relação à disciplina, e o clérigo local lhe disse que ele deveria açoitar seus estudantes. Mas Thoreau decidiu que não poderia aceitar a prática do açoitamento e decidiu sair. Ele e seu irmão John começaram uma escola em Parkman House, na Main Street, posteriormente o lar da biblioteca pública de Concord. A escola prosperou sem açoitamento.

 

No final de 1837, Thoreau conheceu Emerson, na época com trinta e quatro anos. O biógrafo Ralph Rusk assinalou que a “magreza de seu corpo, acentuada por seu metro e oitenta de altura, (…) os ombros estreitos e curvados, (…) sua cabeça dava a impressão de firmeza. Seu cabelo grosso e castanho, (…) suas curtas e discretas suíças emolduravam parte de uma fisionomia forte e penetrantes olhos azuis”. Nascido em Boston em 3 de maio de 1803, o ex-aluno de Harvard Emerson desenvolveu a filosofia mística do transcendentalismo, explicada em seu ensaio principal, “Nature” [“Natureza”] (1836). Seus ensaios mais duradouros foram “Self-Reliance” [“Autodependência”] e “Compensation” [“Compensação”]. Os escritos de Emerson eram abundantes em epigramas – por exemplo, “Quem deseja ser um homem, deve ser um não-conformista (…) Nada pode trazer-lhe paz senão você mesmo (…) O caráter é superior ao intelecto (…) A única maneira de ter um amigo é ser um (…) Nada de grandioso jamais foi alcançado sem entusiasmo (…) Autodependência, estatura e perfeição do homem (…) Faça-se necessário a alguém (…) A recompensa por algo bem feito é tê-lo feito (…) Nada surpreende os homens tanto quanto o bom senso e o trato franco (…) Quanto menos governo tivermos, melhor (…) Grandes homens são aqueles que enxergam que o lado espiritual é mais forte do que qualquer coisa”.

 

Thoreau mostrou a Emerson seu diário que um de seus professores na Harvard, William Ellery Channing, o havia incentivado a escrever. Ele havia começado a escrever em outubro de 1837, e isto se tornou uma maneira importante de desenvolver seus pontos de vista e a prática de expressá-los. Aparentemente Emerson ficou impressionado com o dom de Thoreau para a expressão e convidou-o para participar dos encontros literários conhecidos como Clube Transcendental, na casa de Emerson em Concord.

 

Em 1839, Henry e John Thoreau saíram por treze dias em viagem de barco pelo Rio Concord e pelo Rio Merrimack, experiência que ganhou especial significado após a morte de John por tétano em 1842. Henry resolveu escrever um livro sobre os bons tempos passados em companhia de seu irmão, mas decidiu que não poderia trabalhar em meio a tantas distrações em casa. Desta maneira, entre 4 de julho de 1845 e 6 de setembro de 1847 ele viveu na propriedade de Emerson no Lago Walden, ao sul de Concord. O Lago Walden tinha cerca de três quartos de milha de comprimento e meia milha de largura. Com um machado emprestado, Thoreau construiu uma cabana lá. Ele certamente não se isolou da civilização, como reza a lenda. Se enxergava a estrada Concord-Lincoln do seu campo, a Ferrovia Fitchburg passava pelo outro lado do Lago Walden, sua mãe e suas irmãs traziam-lhe tortas e rosquinhas, ele continuou indo jantar em casas de amigos, tinha frequentes visitantes, e em mais de uma ocasião, sua cabana serviu de estação na “Ferrovia Subterrânea”, servindo de abrigo para escravos fugidos. Thoreau ganhou dinheiro trabalhando como carpinteiro, pintor e vigilante.

 

Durante seu segundo ano na floresta, ele teve mais tempo para escrever. Finalizou seu primeiro livro, o tributo ao irmão, A Week on the Concord and Merrimack Rivers [“Uma semana nos rios Concord e Merrimack”], mas aparentemente não foi capaz de atrair o interesse de nenhuma editora comercial, pois conseguiu que fossem impressas somente mil cópias em 1849. Ele precisou de vários anos para quitar a dívida, e as cópias não vendidas acabaram indo parar no sótão da casa dos seus pais.

 

As pessoas queriam saber por que alguém formado em Harvard viveria sozinho na floresta, e em 10 de fevereiro de 1847 ele deu uma palestra, “Uma história de mim mesmo”, no Liceu Concord. A audiência adorou-o. Emerson disse a Margaret Fuller que as pessoas vieram “para ouvir os relatos da vida de diária de Henry no Lago Walden, lidos por ele como uma palestra, e ficaram fascinadas pela sua sabedoria sagaz que compreendia tudo”.

 

Quando ele se cansou da floresta, foi viver na casa de Emerson. Lá ele escreveu uma longa carta sobre suas experiências e reflexões em Walden a Horace Greeley, editor do New York Tribune, que publicou-a na edição de 25 de maio de 1848. Após dois anos na casa de Emerson, Thoreau foi ajudar seu pai com a fábrica de lápis e viveu na casa de seus pais, que foi onde ele converteu a carta em Walden. O livro foi lançado em 1854 pela editora Ticknor & Fields.

“Fui à floresta porque queria viver deliberadamente, encarar apenas os fatos essenciais da vida, e ver se eu poderia aprender o que ela tinha a ensinar, e não, quando eu vier a morrer, descobrir que nunca vivi. Eu não desejei viver o que não era vida, estar vivendo me é tão caro; nem desejei praticar a resignação, a menos que fosse necessário. Eu queria viver profundamente e sugar toda a essência da vida, viver tão robustamente tal qual um espartano e jogar fora tudo o que não era vida (…)”

(Henry David Thoreau)

Anúncios
Categorias:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s