Ray Charles

Ray Charles Robinson
23.09.1930 – 10.06.2004

Ray Charles foi um dos grandes inovadores da música norte-americana, misturando o gospel com blues para criar um gênero emocionalmente cru chamado soul.
“O único gênio no negócio”, disse certa vez Frank Sinatra sobre Ray Charles. A resposta de Ray Charles: ” ele era um gênio, e Einstein. Não eu.”
Seja cantando blues ou tocando jazz, interpretando uma balada ou música country, Charles combinava as emoções cruas do gospel negro com a sofisticação do treinamento clássico.

Cego desde os 6 anos de idade, Charles venceu a pobreza na infância, e mais tarde o vício de heroína, para se tornar um dos cantores mais duradouros do mundo.

Mesclando influências tão diversas como Chopin e Sibelius, Tatum, Artie Shaw e Nat “King” Cole, Ray Charles ajudou a revolucionar a música popular nos anos 1950, abrindo o caminho para cantores como Elvis Presley, Buddy Holly, Chuck Berry e Sam Cooke e o que iria se tornar o rock ‘n’ roll.

Seu hit I Got A Woman é considerado a chave que abriu a porta para um cruzamento da herança musical negra na corrente musical americana branca.

“Eu fui bastante bombardeado porque algumas pessoas achavam que eu era uma espécie de abominação da igreja. Mas aí as pessoas começaram a perceber…’o homem apenas está cantando o que ele sente. Ele tem que cantar do jeito que ele sente’. Foi aí que eu parei de tentar cantar como os outros”, disse Charles em uma entrevista.

Na época, ele chamava seu estilo de “soul music” – uma década antes de ser reconhecido como um gênero distinto.

Nascido Ray Charles Robinson em 23 de setembro de 1930, ele foi criado em Greenville, Flórida, por sua mãe e a primeira esposa de seu pai. Sua mãe lavava roupa para pagar as contas e aos 5 anos de idade ele viu seu irmão se afogar em uma banheira.

No ano seguinte, ele perdeu a visão por causa da glaucoma. Aos 7 anos, sua mãe o matriculou na Escola para Surdos e Cegos St. Augustine, onde ele aprendeu a ler e a escrever música em Braille, a tocar piano, sax alto, órgão, trompete e clarineta.

Devastado aos 15 anos pela morte de sua mãe, ele abandonou a escola e seguiu para Jacksonville, onde começou uma carreira na música.

Dois anos mais tarde, depois de tocar com uma banda de jazz e um grupo chamado Florida Playboys, Ray Charles pegou seus US$ 600 de economias e foi para Seattle.

Ali ele mudou seu nome para Ray Charles – para evitar confusão com o boxeador Sugar Ray Robinson -, fez sua primeira gravação (Confession Blues de 1948) e se viciou em heroína.

“Eu fiz isso a mim mesmo. Não foi a sociedade… não foi um traficante, não foi porque eu era cego ou negro ou pobre. Foi tudo minha culpa”, ele escreveu em sua autobiografia Brother Ray (Irmão Ray).

O sucesso chegou em 1952, quando a Atlantic Records fechou um contrato com ele para gravar” I Got A Woman.” A canção não virou um sucesso imediato, mas Charles teve sua quantia de hits nos anos seguintes.

Outra canção ao estilo gospel, This Little Light Of Mine virou This Little Girl Of Mine e Charles apresentou um grupo feminino, as Raelettes, que faziam quase o papel de um coral em suas gravações.

Entre 1954 e 1959, Charles emplacou uma série de sucessos – Yes, Indeed, Hallelujah, I Love Her So, Drown In My Own Tears e Night Time Is The Right Time antes de gravar seu primeiro álbum que vendeu um milhão de cópias What’d I Say? – que foi proibido nas rádios em todos os EUA, mas mesmo assim virou sucesso.

Trocando de gravadora, saindo da Atlantic para a ABC aos 29 anos em 1959, Charles então gravou mais canções sentimentais como Ruby e Georgia On My Mind, mas ainda emplacava hits como Hit the Road, Jack e Let’s Go Get Stoned.

Em 1963, seu álbum Modern Sounds in Country and Western Music – que ele gravou com a ajuda de uma orquestra com 18 instrumentos – emplacou quatro singles na lista dos 10 mais, além de I Can’t Stop Loving You, que vendeu 3 milhões de cópias.

Seus 15 anos como viciado em drogas tornaram-se públicos quando ele foi preso em 1964 em Boston por posse de heroína. Ele parou de fazer turnês em 1965 para tentar se livrar do vicio.

Em 1973 ele saiu da ABC Records e criou seu próprio selo, o Crossover, produzindo e gravando seus próprios discos.

Em 1986, Ray Charles foi homenageado pelo presidente Ronald Reagan. Mesmo assim, ele considerava a maior honra de sua vida ter sua música Georgia On My Mind adotada como canção oficial do Estado norte-americano da Geórgia.

Ray Charles casou-se duas vezes e foi pai de 12 crianças ( há controvérsias quanto ao número exato em suas várias biografias ) com 7 mulheres diferentes. Sua primeira esposa Eileen Willians ( casados em 1951 – divorciados 1952 ) deu-lhe um filho. Outros 3 são do seu segundo casamento com Della Beatrice Howard em 1955 com divorcio em 1977. Teve tambem o filho de Margie a Backing vocal da banda que morreu de overdose. Os outros não tenho informação.

Morreu no dia 10 de junho de 2004, ás 15.35 PM em sua casa em Beverly Hills por problemas no fígado .

Anúncios
Categorias: Tags:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s