12.11.1840  –   17.11.1917

Auguste  Rodin tornou visível a manifestação da alma humana por meio de gestos e expressões enérgicos e penetrantes. Tornou-se, assim, o renovador da escultura européia, abrindo caminho para novos estilos e utilizando, ao mesmo tempo, elementos originários do expressionismo. As primeiras obras, embora ainda impregnadas de uma concepção classicista, já revelam esta tendência. Seu primeiro trabalho enviado ao Salon de Paris, Rapariga de Nariz Partido (1864), não teve seu valor reconhecido. As esculturas de Rodin iriam continuar causando, por algum tempo, a rejeição da opinião pública, como ocorreu com a obra Estátua de Balzac (1891). Outra das melhores obras de Rodin, Porta do Inferno, em que ele trabalhou desde 1880, ficou inacabada; do estúdio apenas sairia um fragmento do conjunto, a célebre escultura O Pensador. Para O Beijo (1886), supõe-se que tomou como modelo a escultora Camille Claudel, sua aluna, assistente e amante. Depois de participar na Exposição Universal de Paris, em 1900, Rodin começou a desfrutar de um crescente reconhecimento público.
ImagemImagemImagemImagemImagem
Anúncios