Rembrandt Van Rijn Imagem

 1606-1669

A vida de Rembrandt sempre é contada a partir do casamento com
Saskia. Parece que nada aconteceu antes disso. Eles eram um casal
próspero contente e descuidado. Tinham todos os motivos para serem
felizes. Rembrandt o mais popular pintor de retratos de Amsterdan,
conseguia mais encomendas do que podia pintar, pedia o preço que
queria e gastava exatamente como ganhava. Seu dinheiro derretia-se
como a neve. Pintou Saskia muitas e muitas vezes e seu próprio retrato repetidamente.

Seus quadros eram todos humanos, demasiadamente humanos, neles
predominava uma alegria meio abafada por um tom de tristeza que ao
final tomou conta de sua obra.
Saskia deu-lhe três filhos, dois deles morreram na infância e então após
8 anos de casamento, Saskia adoeceu e morreu.
Essa tragédia marcou o fim da felicidade e da fortuna de Rembrandt e
deixou-o nas trevas. Perdeu sua mulher e por algum mistério seus clientes
também desapareceram. Chegou a pintar exclusivamente para ele mesmo.
A queda foi rápida, trouxe outra mulher para viver com ele e com seu
unico filho Tito.
Os burgueses acharam mais um motivo, nessa união para atormentar
Rembrandt. Da desatenção passiva foram à perseguição ativa, mas sua
arte sobrevivia a duras penas.
Seus quadros que apenas alguns anos haviam alcançado preços fantásticos
agora eram oferecidos em leilão. Para pagar os funerais de sua companheira
de então foi obrigado a vender a sepultura em enterrara Saskia sua mulher.
Em 4 de setembro de 1688, Tito seu único filho morreu apenas alguns meses
depois de seu casamento.
Privações, pobreza, tristeza, desatenções e por fim o grande silêncio da morte.
Esse homem que deixou no mundo centenas de tesouros sem preço, foi enterrado
pela miserável quantia de treze florins ( mais ou menos cinco dólares e vinte centavos)

Ana Maria Ramos    

 ImagemImagem

Anúncios