Van Gogh

VINCENT VAN GOGHImagem 1853-1890 Aos 28 anos Van Gogh era o mais isolado dos homens e começou a pintar…
Não tinha conhecimentos técnicos, desenhava como uma criança e colocava
cores jamais esperadas. Seu irmão mais moço, Téo, gostava de seu trabalho e
o encorajava. Teve uma vida amorosa turbulenta, apaixonando-se por mulheres
mais velhas e problemáticas…dizia a Téo que precisava de amor para pintar
com mais intensidade e procurava desesperadamente um amor que o tirasse de
sua absurda solidão.
Trabalhava 14 horas por dia no estúdio. Téo mandava-lhe uma pensão mensal
com a qual sobrevivia e comprava material de pintura. Nunca fazia a barba nem
penteava os cabelos vermelhos.
Aos 30 anos era bastante desiludido de tudo, principalmente no amor. Trabalhava
incansavelmente nas telas que ninguém comprava, esquecia de comer, sentava-se
nas dunas para pintar com o sol intenso do meio dia apenas para captar cores fortes
da natureza para seus trabalhos e voltava alucinado pelas cores e pelo sol.
Sentia-se um peso morto sustentado pelo irmão e com acessos de culpa procurava na
bebida o alivio para seus tormentos.
Aos 35 anos era um homem sozinho considerado louco por procurar uma beleza que
nunca conseguia atingir e pintava cores fortíssimas em suas telas. Era indiferente
ao dinheiro e aos homens.
Um dia , em estado de terrível excitação e febre, cortou um pedaço da própria orelha e
enviou como presente a uma mulher de bordel.
Foi internado e passou por várias crises. Vincent implorava aos médicos que o deixasse
pintar, mas todos o tratavam como louco. Tinha momentos de lucidez absoluta e
escrevia ao irmão cartas com comentários normais..quando conseguiu alta do hospital
não queria mais voltar ao atelier, queria apenas um outro quarto onde pudesse pintar.
Foi admitido no asilo S.Remy e lhe foi dado um quarto onde pintava desesperadamente.
Continuava a ter ataques e a pintar. Deixou a instituição em 1890 e sua vida correu
normal por um tempo. Tornou-se padrinho do filho de Téo e fazia passeios com o
pequeno Vincent, seu sobrinho.
Um dia uma grande calma se apoderou dele. Era diferente de tudo que experimentara
antes,sentia-se libertado de alguma grande dúvida. Escreveu a Teo: “Tenho a impressão
que me aproximo de uma calma excessiva para poder pintar”, e então a 29 de Julho
de 1890 atravessou seu corpo com uma bala. Era o final de sua estranha procura.
Vincent Van Gogh não vendeu nenhum quadro em vida mas suas obras são de valor
inestimável, incalculável no mercado de artes.

Ana Maria Ramos

http://www.vangoghgallery.com/index.html

http://vangoghletters.org/vg/letters.html

Anúncios
Categorias: Tags:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s